domingo, 9 de outubro de 2016

Como conciliar escola com as viagens em família? - Blogagem Coletiva


Tema polêmico. 
Super difícil escrever sobre isso.
Cada família vive a sua realidade, e isso engloba desde a idade das crianças até o tipo da escola onde estuda, passando pela profissão dos pais, e também por valores familiares, sociais e econômicos...

A verdade nua e crua é clara. Faltar a aula prejudica. E quanto mais velha for a criança, mais as aulas farão diferença. Essas são as situações que as famílias poderão encontrar:

1) Pais de crianças pequenas viajando dentro ou fora das férias.
Esse é o melhor dos mundos. Vocês podem se dar ao luxo de viajar até durante as aulas, que o conteúdo pedagógico não será muito afetado. Talvez no máximo a criança precise se readaptar na volta.

2) Pais de crianças grandes/ adolescentes viajando nas férias.
Aqui também a vida escolar não será afetada, caso os pais respeitem as férias. Porém, talvez a viagem seja afetada, pois férias escolares são épocas de alta temporada. Tudo estará mais caro e mais cheio.

3) Pais de crianças grandes / adolescentes viajando nas aulas.
Aqui o bicho pega. Os filhos terão que "correr atrás da matéria" quando as férias terminarem. Dependendo do perfil de cada estudante, isso pode virar uma bola de neve.
Por outro lado, viagens podem ter o poder de ensinar infinitamente mais uma pessoa do que livros ou a sala de aula. E não estou falando só de viagens culturais.
Vale a pena colocar tudo numa balança e decidir o que é melhor para a família de vocês.

Algumas estratégias para minimizar o "dano" que uma viagem pode causar ao ano letivo:

* Programar a viagem para a época de algum feriado prolongado. Dessa forma vocês não perdem tantos dias. Principalmente se a escola costuma enforcar feriados.
* Escolas internacionais costumam ter dois recessos no ano, um no primeiro semestre e o outro no meio do segundo semestre. Caso seu filho estude nessas escolas, programe a viagem para acontecer nesse recesso.
* Caso a escola do seu filho não tenha esses "breaks", tente viajar numa época em que você tenha certeza de que não haverá provas.
* Não faça da falta um hábito e não minimize a importância da escola para a criança.
* Algumas famílias combinam com as professoras de levar os deveres de casa adiantados para serem feitos durante a viagem. Honestamente? Acho que essa prática pode atrapalhar sua viagem. Ou se tira férias, ou não se tira. Imagine ter que fazer uma interpretação de texto depois de caminhar quilômetros na Disney?
* Sempre haverá alguém para criticar sua decisão de viajar. Nessas horas é bom fazer ouvidos de mercador...

Outros blogs que estão conversando sobre esse assunto:

1. Viagens que Sonhamos - Como conciliar viagens e ano letivo | A nossa experiência http://www.viagensquesonhamos.com.br/2016/09/Viagens-com-criancas-durante-o-ano-escolar-sim-ou-nao.html
2. Viajar hei - Como conciliar viagens e o ano letivo das crianças?http://www.viajarhei.com/2016/09/como-conciliar-viagens-e-o-ano-letivo-escolar-das-criancas.html
3. Vamos Por Aí -Como conciliar viagens e o ano letivo das crianças?http://vamosporai.com/dicas/viagens-e-ano-letivo/
4. Diário de Viagem - http://www.diariodeviagem.com/note/como-conciliar-ano-letivo-viagens-com-criancas
5. Viajo com filhos - Como conciliar as viagens e a escola das crianças http://viajocomfilhos.com.br/2016/09/como-conciliar-as-viagens-e-as-escola-das-criancas/
6. Felipe, o pequeno viajante - http://www.felipeopequenoviajante.com/2016/09/como-conciliar-escola-das-criancas-com-viagens.html
7 - Cantinho de Ná - http://www.cantinhodena.com.br/2016/09/viagens-com-os-filhos-e-escola-como-conciliar/
8 - Família Viagem - Como conciliar viagens e escola dos filhos - http://www.familiaviagem.com.br/2016/10/09/como-conciliar-viagens-e-escola-dos-filhos/
9 - Viajando em Familia - Como conciliar viagens e escola dos filhos - http://www.viajandoemfamilia.com.br/blogagem-coletiva-como-conciliar-viagens-e-escola-dos-filhos/
10 - Do RS para o Mundo - http://dorsparaomundo.blogspot.com/2016/10/como-conciliar-ano-letivo-e-viagens-com.html
11 - Passeiorama - http://www.passeiorama.com/2016/10/blogagem-coletiva-ferias.html
12 - De Primeira Viagem - http://deprimeiraviagem.com/2016/10/09/como-conciliar-escola-e-viagens/
13- TripBaby - http://tripbaby.com.br/2016/10/09/da-pra-viajar-durante-o-periodo-escolar/
14- Dicas da Rege-http://dicasdarege.com/?p=2936&preview=true
15- Trilhas e Cantos - http://www.trilhasecantos.com.br/2016/10/conciliar-escola-viagens.html
16 - Andreza Dica e Indica - http://andrezadicaeindica.com.br/dicas-para-conciliar-viagens-e-escola.html
19. No Mundo com a Gente - http://www.nomundocomagente.com.br/...
20. Ferinhas Viajantes - http://www.ferinhasviajantes.com/si...
22. Malas e Panelas - 5 Dicas para conciliar escola e viagem e não ter stress http://malasepanelas.com/5-dicas-pa...
23. Para a Disney e além - O desafio de viajar com criança em época de aula http://www.paraadisneyealem.com.br/...
24. Descansa na Volta - Como conciliar viagens e escola - Nossa Teoria da Resistência http://www.descansanavolta.com.br/2...
25. Roteiro Renatours - Blogagem Coletiva: Como conciliar viagens e ano letivohttp://roteirorenatours.com/2016/10...
26. Espelho de si: Como conciliar ano letivo com as viagens?http://www.espelhodesi.com.br/2016/...
27. Gosto e Pronto: Como conciliar ano letivo e viagens - Nossas experiências.

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Como fazer um guia de viagens infantil...


Recentemente, conseguimos umas passagens bem baratas para Paris e resolvi apresentar essa cidade linda para o meu filho antes de chegarmos lá. Comecei a procurar guias de viagem com uma pegada bem infantil, e... Não encontrei!!!

Coloquei a cabeça para funcionar, e decidi eu mesma elaborar um guia totalmente adaptado para as necessidades da nossa família.


Compartilhei o álbum em um grupo de viagens do facebook e para a minha surpresa, a ideia teve uma imensa aceitação. Choveram pedidos que eu compartilhasse o link e também pessoas perguntando como eu fiz o nosso guia. Acho que a graça é justamente essa, você montar em casa um guia que mostra todas as coisas que vocês verão durante o passeio.


Quer aprender a fazer o seu guia????
Então arregace as mangas porque o trabalho é grande. 
Mas compensa!!!


COMO FAZER SEU GUIA INFANTIL :

1) Defina o seu roteiro antes de montar o guia. É por esse motivo que cada família deve montar o seu próprio "guia". A duração da viagem e os lugares a serem visitados variam.

2) Agora que você já sabe quais monumentos deseja visitar, é hora de começar a pesquisar essas imagens no Google. 



3) Faça uma pasta de imagens e guarde essas fotos todas dentro dessa pasta. Isso vai te facilitar na hora de montar o fotolivro.


4) Vamos partir para os museus. Aqui vocês terão mais trabalho. Descubram as principais obras de arte de cada museu a ser visitado entrando no site oficial do museu ou em blogs de viagem.

5) Salve as imagens dessas obras na pasta que você já montou. Não se esqueça de anotar o nome de cada obra. Para crianças mais velhas, vale a pena escrever alguma informação ou curiosidade a respeito de cada obra de arte. Eu optei por não fazer isso, pois o Reizinho tem cinco anos.



6) Você pode organizar uma caça ao tesouro dentro do museu, e bolar até um prêmio. Coloque um espaço assim  (             )   para a criança marcar com um X as obras que for reconhecendo.



7) Se o seu filho já escreve, você pode bolar um questionário para ele responder após a visita. 
Sugestões: "Qual foi a sua obra de arte preferida?", "O que você sentiu quando viu a Monalisa?", "O que é mais gelado, uma estátua de mármore ou de bronze?", etc, etc, etc.
Como o meu filho ainda não escreve, eu inseri uma página para ele fazer um desenho:



8) Pensa que acabaram suas pesquisas de imagens no Google? Engano seu. Pesquise também mapas, a bandeira do lugar, a moeda, e até mesmo algumas palavrinhas na língua do local que vocês irão conhecer. Exatamente como os adultos fazem.


9) Eu também pesquisei músicas e filmes que se passavam na França, bem como comidinhas deliciosas. Pronto, agora já pode parar de pesquisar imagens. É hora de editar tudo (seu trabalho ainda nem começou...).

10) Entre no site Picmonkey para editar as suas fotos. Você pode querer fazer uma colagem ou escrever o nome de um quadro diretamente na foto, para ter menos trabalho na hora de montar o seu livro.


11) Baixe o programa gratuito D-Book. É nele que você vai montar o seu fotolivro. É esse aqui:


12) Clique em Fotolivros e depois em Manual, a não ser que prefira usar alguma das opções de formatos que o próprio D-Book te dá. Mas não recomendo, pois isso te tira a liberdade de criar cada página.


13) Após montar e salvar o seu livro (o D-Book é bastante intuitivo), é hora de revelar. Eu nunca tive problemas com a Saraiva Revelação Digital. Existem outras empresas que também imprimem o livro, basta escrever fotolivro no Google que aparecerão várias.

14) escolha o tamanho médio. O grande fica imenso para ser carregado dentro da bolsa e o pequeno, não desperta muito a curiosidade das crianças. Fujam das capas duras para seu livro não ficar pesado. Eu optei por imprimir em espiral, paisagem (ou seja deitado), tamanho M.

 Agora é esperar chegar! Espero que faça sucesso!!!

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Kingdom Strollers, a locadora de carrinhos que salva a vida dos pais na Disney



O Reizinho já é um rapaz de cinco anos. Porém,desde a primeira vez em que fomos para a Disney com ele, não abro mão de alugar o carrinho mais delicioso do mundo.

Reparem. As rodas são gigantes. sabem o que isso quer dizer? Nós praticamente não precisamos fazer a menor força para empurra-lo. Aqui em casa, nós brincamos dizendo que o carrinho nos carrega também.

Ele acomoda crianças grandes. Embora tenha 5 anos, Gabriel veste roupa 8/10 anos. Ele é imenso. E ainda assim, sua perna fica confortável. Conseguiu até dormir no carrinho, que inclina bastante.


O Reizinho em sua carruagem.... :-)
Ele assusta pelo tamanho, porém não é pesado e se dobra facilmente. Eu conseguia ir do parque para o hotel nos ônibus da Disney, sozinha com meu filho, isso quando ele tinha três anos. Não havia o menor problema para abrir e fechar o carrinho.

Ele tem uma ótima proteção em relação ao sol. E isso é importantíssimo quando se pega um calor de 42 graus na Disney.

Certamente, se eu tiver outro filho, vou tentar comprar um Bob na viagem e trazer para o Brasil. Mas como descobri a existência dele tarde demais, eu o alugo quando viajo.

Nas duas vezes em que viajei, aluguei meus carrinhos com a Kingdom Strollers. Para acessar a página deles, clique AQUI.


Aqui o Reizinho tinha três anos e eu tinha menos 10 Kg. Foi o nosso primeiro aluguel do Bob.
Eles são fornecedores oficiais da Disney, e tanto entregam quanto buscam o carrinho no seu hotel. Foram corretíssimos comigo em relação ao horário de entrega. Dessa última vez, descobri que eles entregam carrinhos até em hotéis que ficam fora do complexo da Disney. Dessa forma, você não perde tempo de viagem se preocupando com burocracias.

Junto com o carrinho, você também recebe uma capa de chuva (usamos MUITAS vezes) e um cooler, que também salvou a nossa vida. Compramos água no supermercado (dentro do parque cada garrafinha custa $4,75, e acredite em mim, sua família vai beber umas 10 por dia), e junto com a água, colocamos gelo no cooler. As outras garrafinhas iam no espaço que fica embaixo do assento da criança. Ao longo do dia, íamos repondo no cooler a água e o gelo. Fizemos uma enorme economia no fim da viagem.

E não pense que eles te entregam um carrinho todo velho e sujo. Nada disso. Ele vem limpinho, parece que saiu de uma loja.

Recomendo mil vezes o Bob Revolution e a Kingdom Strollers.


*** É impressionante a rapidez com que eles respondem ao seu e-mail ***
Telefone:  407-271-5301

Isso é um carrinho ou um avião?
Uma dica final. Independente de você levar, alugar ou comprar lá o seu carrinho, é muito importante criar maneiras de encontra-lo rapidamente naquele mar de carrinhos. 

Dessa vez, eu fiz essa espécie de cartaz em casa. Imprimi o nome do Gabriel e o nome do hotel, plastifiquei, adicionei estrelinhas adesivas, e fiz um furo para poder amarrá-lo na parte traseira. 
Dessa forma, conseguíamos identificá-lo de longe.

terça-feira, 26 de julho de 2016

Lakeshore Learning Store - A loja educativa que poucos conhecem nos Estados Unidos



Aposto que quando você pensa em brinquedos infantis quando viaja para os Estados Unidos, sempre pensa na Toys R Us. Eu fazia parte desse time até descobrir a existência dessa loja. É uma espécie de loja de brinquedos educativos, só que voltada para os estudos. 
Aqui no Brasil, nossas lojas de brinquedos educativos são basicamente brinquedos educativos de madeira.

Essa loja vende de tudo relacionado a educação. Desde móveis escolares, até livros, artigos geniais de arte, carimbos, material didático de apoio, artigos para crianças com autismo (bem como outras condições físicas e psicológicas), material de psicomotricidade, brinquedos que exploram a ciência, a matemática, a leitura. É só imaginar, que vai encontrar por lá.

Ainda que seu filho esteja sendo alfabetizado em português, vocês certamente encontrarão muitos ítens interessantes (gosto muito do material de apoio de matemática deles, e números são iguais em português e inglês). Inclusive para crianças de todas as idades, desde bebês até os adolescentes.

Existe também uma área voltada para professores e pais. Aos sábados, eles fazem oficinas grátis para as crianças. Procurem se informar no site deles o dia certo e o horário (sempre muda). O site é esse AQUI.

Outra coisa que amo comprar lá, são os ítens de organização para o material escolar. Existem pastas especiais para armazenar aquele trabalho infantil que dá pena de jogar fora. Bolsas com lugares certos para se guardar cola, tesoura, papéis e etc. Seria impossível descrever aqui as coisas super diferentes e úteis que podemos encontrar lá.

Se estiver com viagem marcada para os Estados Unidos, basta procurar a Lakeshore mais próxima de onde você estará. Boas compras!

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Como consegui fazer reservas para o T-Rex com EXTREMA FACILIDADE




Confesso, dei mole com a reserva antecipada do T-Rex. Eu não achei que seria tão concorrido quanto o café da manhã das princesas, por exemplo.

MAS ERA...
Quando tentei agendar com dois meses de antecedência, eu não conseguia nenhum horário pelo site da Disney. Eu entrava pelo menos duas vezes ao dia e nada.

Comecei a investigar pela internet se não haveria outra forma de conseguir. E TEM!!!

Descobri que o T-Rex não coloca todas as suas mesas no site da Disney. Uma parte é destinada para as pessoas que chegam sem reserva, pela rua, os "walk-in", e outra parte é destinada a quem TELEFONAR reservando.

E foi o que fiz! depois de ficar semanas entrando no site várias vezes ao dia, consegui minhas reservas com muita facilidade, para o dia e hora que eu queria.

Para reservar por telefone, ligue:

00-Operadora (a minha é 21)-1-407-828-8739

se quiser tentar pelo site da Disney, clique AQUI.

sábado, 2 de julho de 2016

Administrando crises / brigas nas viagens...

Fato número 1. Ninguém "viaja para se estressar ou brigar".
Fato número 2. Apesar disso, brigas ou crises podem acontecer a qualquer momento.

Como os viajantes vão encarar essa situação, pode determinar o sucesso ou fracasso da viagem.


Viagens com crianças costumam multiplicar as chances de que exista algum tipo de estresse. Eles podem não ter o entendimento perfeito a respeito da mudança da rotina, o que se espera do comportamento deles, e geralmente possuem uma tolerância menor para aturar vôos atrasados, filas em museus e parques, estranham novos paladares...

Para crianças mais velhas, uma boa conversa antes da data da viagem, costuma render bons resultados.

Vocês podem até marcar uma "reunião familiar" em um restaurante que eles curtam e criar regras. Inclua a criança na elaboração das regras, para que elas se sintam responsáveis. Vocês podem colocar a colaboração de todos em um papel, depois imprimir e carregar durante a viagem.
Expliquem também as consequências de não seguir as regras.

Cumpra com a sua palavra sempre, seja consistente, e pelo amor de Deus, tente não ser chato. A ideia aqui é tentar envolver todos os membros da família na construção de algo que visa o bem de todos.

Exemplos de regras:
- Respeitar o horário combinado para sair do hotel
- Acordar na hora combinada
- Programar um valor diário que pode ser gasto com compras ou atividades
- Não gritar
- todos os familiares terão a chance de fazer algo especial que queiram
- Não implicar
- Não se afastar dos pais sem avisar onde está indo
(Cada família decide quais regras se aplicam para cada caso.)

Resolvi dividir as situações que mais causam estresse e podem desencadear crises em adultos e crianças, separadamente:

Nessa sessão de fotos em Cancun, o reizinho estava super mal-humorado e não queria tirar fotos. sabem o que salvou o dia e a sessão de fotos? Uma mamadeira deliciosa. Sério, a mamadeira foi um divisor de águas! A primeira foto desse post foi feita após a mamadeira!

As crianças tendem a achar que as férias destinam-se unicamente para elas, e quanto mais jovens forem, menos elas compreendem que aquele período de 'descanso' é para todos.
Por isso é importante desde cedo explicar que durante as férias, todos os membros da família precisam ter a chance de fazer algo que gostem. 

Dependendo do destino escolhido, haverá mais ou menos chances de as crianças fazerem algo que as interesse. Tentem colocar diariamente pelo menos uma atração que atraia a faixa etária do seu filho. Isso diminuirá as chances delas ficarem desinteressadas e com tédio. Consequentemente, as birras também diminuirão.

Atentem para o fato de que as crianças se cansam com mais facilidade, embora tenham um nível de energia quase inesgotável. Por isso, regularmente (a cada 2 ou 3 horas), programe pausas para ir ao banheiro (evitando também "acidentes"), fazer um lanche e beber água.

Sair da rotina pode deixar o humor da criança um pouco instável, pois isso implicará que ela não vai se alimentar e dormir nos horários costumeiros. Dentro do que for viável, tente não fugir muito da hora em que ela realiza essas coisas.

Em caso de pirraças, evite deixar que a criança consiga o que quer através de birras. A neurologista do reizinho nos aconselhou a não ceder para não reforçar este comportamento. Eu não acho legal isolar ou ignorar a criança, como alguns livros ensinam. 

Prefiro sair da "cena do crime", acalmar todos os envolvidos e conversar, explicar, e fazer a criança entender que ela está sendo ouvida, porém isso não significa que ela será atendida. Não podemos virar reféns das crianças. Também não podemos nos comportar como ditadores. Esse equilíbrio é difícil e sutil.

Quando a criança adoece numa viagem, respeite a situação. Não a force a ir numa praia em Cancun se ela estiver com febre. Trate-a da mesma forma que você gostaria de ser tratado se estivesse doente. É melhor "perder" um ou dois dias cuidando dela no quarto, do que forçar passeios que só irão retardar a melhora da doença. E que podem até piorar a situação.

Antecipe as crises. Se você já sabe de antemão que seu filho fica mal humorado quando está com fome, não o deixe muito tempo assim. Se seus filhos implicam um com o outro, sentem no meio deles no avião. se as crianças detestam fazer compras, não esqueçam de levar um tablet carregado ou um livro, para que eles se distraiam enquanto vocês compram. A maioria das situações de crise pode ser antecipada e evitada, se vocês tiverem a sensibilidade de fazer uma leitura da criança.


Convenhamos, existem adultos mais difíceis de se lidar do que crianças. Pessoas intransigentes, egoístas, egocêntricas, deviam ser proibidas por lei de viajar com os filhos.

Casais que já não estão com o casamento às mil maravilhas costumam sofrer bastante nas férias em família, pois quando se é obrigado a passar 24 hs por dia juntos, os problemas prévios tomam proporções dantescas. Se quiserem fazer uma viagem para resgatar o romantismo, é melhor viajarem só os dois. (Vários divórcios acontecem após o período de férias, existe uma estatística MUITO alta, mas não me lembro exatamente qual é).

Um dos fatores que mais desestabilizam os adultos nas férias em família, é a divisão desigual de tarefas. Se só um é responsável por arrumar as malas e o quarto, dirigir, pagar as contas, guardar o passaporte, dar banho nas crianças, carregar as malas, tirar as fotografias, guardar (e não perder) os tickets de estacionamento, essa pessoa vai surtar mais cedo ou mais tarde.

Outra grande fonte de problemas é o dinheiro. Cada um quer/pode levar determinada quantia, deseja gastar com coisas diferentes, dá importância diferente a fazer programas caros. Nem vou dar nenhuma dica aqui do quanto separar para cada situação, pois cada família uso o dinheiro da melhor maneira para cada caso. Apenas, combinem antes como será feito para evitar discussões.

Problemas prévios de saúde também são fontes de possíveis crises. Uma pessoa que operou recentemente o joelho ou a coluna, vai sofrer na Disney. Quem tem restrições alimentares sofre em todos os lugares. E assim por diante. Como não podemos fugir dessas pragas, procurem definir o destino de viagem levando sua doença pré-existente em consideração. Preveja o que você conseguirá aguentar ou não.



Dicas Finais:
- Viagem é momento de perdão. Se houver briga, e a pessoa se desculpou contigo, pelo bem de toda a família, esqueça o episódio durante a viagem. Não faça "climão". Não se faça de vítima. Não exagere, releve. Finja que não escutou, que não entendeu.
- Evite assuntos polêmicos. Se você e seu cunhado possuem ideias completamente diferentes acerca de um assunto, certamente a viagem não é a melhor hora de fazer valer seu ponto de vista.
- Evite viajar com familiares com quem você não se dá bem. Não se bica com a sogra? não viaje com ela.

EU viajo com a minha sogra! Eu AMO minha sogra, avó do reizinho!

- Dia das atividades independentes. Considere isso na sua viagem. Um dia para cada um fazer o que quiser. Um dia livre!!! Cada um faz o programa que quer! Tão bom ter essa liberdade! Com adolescentes é uma maravilha, além de ser um exercício de responsabilidade.

- Seja o adulto da situação. sem maiores explicações aqui.

- Reveja a situação de estresse com a criança, depois que a poeira baixar. Não significa dar sermão ou guardar rancor, mas conversar com ela sobre o que desencadeou a crise, pensar juntos no que a criança poderia ter feito naquele momento. Isso amadurece.

- Frases salvadoras de viagem:
"O que eu posso fazer para tornar esse dia melhor para você?"
"Eu estava errado."
"Me desculpe! De coração."
"Não estou dando conta sozinho, você pode me ajudar?"
"Preciso ficar sozinho alguns minutos."
"Quer chocolate ?"
"Eu pago/ eu faço / eu dirijo / eu te ajudo /eu encontro / eu conserto ... para você".